sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Por que... Magpies


                  Ao vir para Irlanda, quase tudo é novidade, inclusive os animais. Na primeira semana em Dublin já ficamos encantados com (pasmem) corvos. Pássaros que víamos apenas em filmes com igrejas e cemitérios e no jogo Resident Evil, nos fez vibrar. No entanto, um outro pássaro chamou nossa atenção por nunca termos o visto antes e a beleza simples em sua monocromia.
           O Magpie (pega-rabuda ou pega-rabilonga em português), é um pássaro relativamente grande (até 46cm do bico a ponta da cauda) e apesar de possuir reflexos azul, verde e violeta metálicos, é reconhecido na verdade pelas cores preto e branco. O Diego logo disse que era um pássaro corinthiano (ah futebol que nos persegue!)
                 Estes pássaros não são avistados no centro de Dublin, mas ao se afastar um pouco em direção ao subúrbio, será tão comum vê-los quanto se veem corvos. E assim como os corvos (são da mesma família), o Magpie consegue andar dando passos é um pássaro considerado inteligentíssimo, sendo umas das poucas espécies e o único não mamífero a reconhecer-se no espelho. Magpies são conhecidos também por serem atraídos (e furtarem) objetos brilhantes, a capacidade de estocar comida durante diferente estações e habilidade de criar e usar ferramentas.
                  Mas o mais interessante são os folclores em torno dos Magpies e sua reputação, que com exceção da Ásia, tem fama de azarão. Dentre as diversas crenças, um conto diz que quando Jesus Cristo foi cruxificado, todos os pássaros do mundo choraram e cantaram para confortá-lo em sua agonia, e o único a não fazê-lo foi o Magpie, sendo então eternamente amaldiçoado. Diz-se também que para evitar a má sorte, deve-se mostrar grande respeito ao pássaro cumprimentando-o com, por exemplo, um "Hello Mr. Magpie!".
                 E o popular mau agouro lhe rendeu até um "poema" bastante conhecido, passado de geração para geração que diz:


                Sim, o poema fala o que significa ver um Magpie, ou dois, ou três e assim por diante. E ao avistar um solitário Magpie, diz-se que você deve repetir "I defy thee" (eu desafio-te) sete vezes.
                Quem imaginaria que esse pássaro teria tanta história para contar!
                Agora tenho certeza que depois deste post, você começar a procurar o segundo Magpie ao avistar o primeiro. Eu sei... porque eu faço isso o tempo todo.

Um comentário:

  1. Sempre vejo esse pássaro e não sabia qual era! No Stephen`s Green Park tem!

    ResponderExcluir

O que você achou do Post?
Gostou? Não gostou? Dá para melhorar?
Deixe seus comentários, dúvidas, críticas ou sugestões!